Desenvolvimento do bebê

Por quê eu não gosto de chiqueirinho para o bebê?

 

Como falamos no último post sobre engatinhar x andador, eu também disse que retornaria ao assunto da “contenção” dos bebes, rsrs

Aqui, não vai nenhuma crítica. Minha maior intenção é orientar. Sou mãe, sei exatamente o trabalho que uma criança dá, sobretudo o cansaço dos dois primeiros anos. Tenho isso bem guardado em minha memória. Moro longe de avós e titias… sei o que é não ter ninguém nem para um cochilo depois da macarronada de domingo… então, nem de longe quero que alguma informação minha soe como crítica. Já carregamos culpas demais…

Mas vamos falar do porquê é tão importante colocarr o bebê no chão, e desde os primeiros dias de vida.

Deixar o bebê ACORDADO de bruços traz muitos benefícios, dentre eles: (acordado está em letras grandes porque dormir é de barriga para cima, ok?)

  • Fortalece os músculos do pescoço ajuda na sustentação da cabeça;
  • Acelera o desenvolvimento motor;
  • Ajuda no desenvolvimento cognitivo (pois o bebê quer ver tudo a sua volta);
  • Ajuda a prevenir a cabeça chata;
  • Exercita e fortalece os músculos dos braços, pernas, costas, ombros e abdômen;
  • Ajuda muito no desenvolvimento dos “marcos motores” como rolar, sentar e engatinhar;

Mas então, porque o chiqueirinho pode atrapalhar nisso?

  • Quando a criança quiser se locomover, o espaço é reduzido;
  • Quando ela quiser levantar, ela vai se “escorar” nas paredes do chiqueirinho, usando menos a musculatura dos braços ou das pernas;
  • A criança que usa o chiqueirinho normalmente anda antes de engatinhar (falei disso no post anterior);
  • A sensação real de incapacidade para sair do chiqueirinho pode se estender para a vida adulta trazendo consequências psicológicas importantes como a incapacidade de transpor problemas. Vendo tudo ao seu redor como impossível (apesar desse item não ser da minha área, nem a minha proposta aqui, acho esse o mais grave de todos);

Então vamos lá a algumas sugestões:

  • Eu fiz (pedi para minha mãe e minha tia fazerem) um tapete sensorial onde elas costuraram tapetes e tecidos de várias texturas e cores, nas pontas, amarrei os brinquedos com elástico. Ele jogava os brinquedos, mas eles voltavam para o tapete por causa do elástico. Claro que essa solução é apenas até mais ou menos os 9 meses. Mas, essa é justamente a fase crucial que define se o engatinhar virá antes do andar.
  • Também fiz a “calça da vovó”. Uma calça antiga que enchi de tecidos dentro para ficar armada como uma calça, e colocava me filho lá, como se fosse no colo para estimular a brincar sentado ou de bruços.

Então, minha conclusão aqui é que, criança dá trabalho, mas podemos ajudar no seu desenvolvimento motor otimizando as fases.

E minha lembrança e recomendação e que a criança para ficar de bruços precisa estar ACORDADA. Dormir, sempre de barriga para cima.

Aproveite cada fase do seu bebê. Ela é um marco no desenvolvimento dele, e no seu também.

Sou muito melhor hoje do que antes dele.

Até a próxima, quando falaremos um pouco sobre andar, pular e correr.

Obs: o bebê da foto, sou eu.

Fisioterapeuta de crianças e adolescentes. Membro da equipe multidisciplinar de dor pediátrica da Unifesp EPM - SP.

Deixe seu comentário