As mães

Mulheres Elásticas

 

 

As mulheres têm tantas responsabilidades e afazeres, geralmente com acúmulo de função que muitas vezes se sentem como mulheres elásticas. Parece que tem que se esticar para dar conta do que tem que ser feito e algumas gostariam de ter “superpoderes” e resolver tudo a sua volta.

 

Cuidados com a casa, filhos, trabalho, relacionamento, amizades e familiares. São tantas coisas ao mesmo tempo que muitas mulheres se sentem esgotadas e angustiadas frente a tantas demandas. Na maternidade estes aspectos podem ficar ainda mais evidentes.

 

Os medos surgem e uma das coisas que pensamos é “tenho que dar conta de tudo”. Isso faz com que queiramos abraçar o mundo, nos esticar, mostrar que sabemos o que fazer e deixar tudo sob controle.

 

Mas aos poucos, aprendemos com a maternidade, que não conseguimos dar conta de tudo e que na maioria das vezes não temos o controle. No início nos decepcionamos por isso, porém, quando aprendemos que não temos que dar conta de tudo é libertador.

 

Mãe, mulher, você não precisa dar conta de tudo. Você pode e deve pedir ajuda, pode demonstrar seus medos e sentimentos. Entender o que está sentindo é o que motiva a seguir em frente.

 

Peça ajuda. A rede de apoio (pai, avós, amigos próximos) é fundamental para que a mãe tenha segurança e tranquilidade para realizar as tarefas que são necessárias e que dependem dela.

 

É preciso estar bem para dar o que seu filho mais precisa: Cuidado, Vínculo e Afeto! Para isso você não precisa dar conta de tudo, dê conta do que está ao seu alcance, faça o seu melhor, e o que não está ao seu alcance, ou que não dá para fazer no momento, peça para alguém te ajudar.

 

Não é fraqueza dividir tarefas, pedir apoio é virtude. Inserir pessoas especiais na maternagem faz toda a diferença, para a mãe, para a família e para os seus filhos.

 

 

Você se sente uma mulher elástica, que tem que esticar para dar conta dos afazeres?

 

No dicionário elástico tem o significado de flexível, maleável, que tem elasticidade, que se estica ou pode ser esticado e mesmo assim volta para o seu comprimento inicial.

 

Lembre-se que o elástico quando é esticado ele precisa voltar ao seu estado natural, mas se forçar além do possível, pode estourar, ou até mesmo machucar se não voltamos com cuidado.

 

Uma das características mais significativas do elástico é a flexibilidade. Mesmo a vida real sendo cheia de desafios e com necessidades de se esticar, seja flexível, maleável, vá com calma com você. Não tente esticar demais, e nem querer voltar ao estado normal rápido demais.

 

Tudo tem o seu tempo!

 

Peça ajuda, pare um tempinho, olhe para você com afeto e acolhimento.

 

Você tem cuidado de você? Quais são os seus limites?

 

Respeite a si mesma.

 

Muitas vezes é preciso parar um pouco e começar a definir prioridades.

 

Você não precisa dar conta de tudo. Dê conta do que está ao seu alcance.

 

Psicóloga (CRP 14/03195-8), mãe da Alice e do Renzo. Atuo como psicóloga na área clínica e perinatal, com atendimento focado em mulheres que desejam engravidar, gestantes e mães. Sou fundadora do Materna Psicologia e gosto muito de conhecer as histórias das famílias e auxiliar as mães ou futuras mamães nos assuntos relacionados a maternidade.

Deixe seu comentário