As mães

Meu primeiro presente? Um sapatinho…

É incrível, mas me lembro bem, que o primeiro presente que ganhei de uma grande amiga para um bebê que estaria a caminho, foram 2 pares de meia. Em seguida, casaquinhos, roupinhas, brinquedinhos e muitos… muitos sapatinhos.

 

Aos nossos olhos, adultos, deixar os pezinhos dos bebes sempre bem protegidos com meias e sapatos, parece sempre o melhor a se fazer… Sim. Os pesinhos precisam ser protegidos do frio e de algo que possa machucá-los. Apenas isso. Aquele sapatinho lindo de “enfeite” pode não fazer tão bem assim para o seu bebê. Mas porquê?

Uma pesquisa realizada por uma Universidade em Madri, na Espanha, mostrou que bebês que permanecem calçados tem o desenvolvimento cognitivo e motor afetado, uma vez que o uso de calçados reduz a sensibilidade e os movimentos da criança.

Os pesinhos são muito sensíveis e são porta de muitos reflexos e reações. Já passou o dedo no pesinho do bebe e observou como ele puxa a perna bem rápido? Esse e um reflexo importante que depois será de muita importância para a futura marcha (andar) do bebê.

A professora Isabel Gentil Garcia, autora desse estudo, considera os pés uma ferramenta cognitiva importante na infância.

Essa mesma pesquisa também apontou que os recém-nascidos tem maior sensibilidade nos pés do que nas mãos até mais ou menos 9 meses. Você já imaginou isso? Mais sensibilidade nos pés que nas mãos? Por isso então a grande questão: Se os pés estiverem calçados, as impressões sensoriais diminuem consideravelmente, pois os pés dos bebês têm inúmeras terminações nervosas que ajudam a captar informações sobre o mundo.

Futuramente, a criança que experimentou ficar mais descalça, tem reações mais rápidas como por exemplo se pisar numa pedrinha e tirar o pé, ou pisar num buraco e rapidamente voltar o pé a sua posição evitando uma torção…

Claro que não estou falando aqui de deixar o bebe com frio nos pés. Mas permitir que o bebe experimente areia, grama, agua, terra através dos pés. Ele perceberá e registrará essas sensações em sua memória sensorial e motora para toda a vida.

Então, que tal abrirmos essa janelinha do mundo dos bebes através dos pés?

 

 

 

Fisioterapeuta de crianças e adolescentes. Membro da equipe multidisciplinar de dor pediátrica da Unifesp EPM - SP.

Deixe seu comentário